sexta-feira, 8 de maio de 2009

Das vantagens de ser ingênuo

Há inestimável vantagem em ser um sujeito ingênuo do interior. Só os ingênuos do interior têm a bem aventurança de olhar a Lua esplêndida de maio, formando uma pintura ao iluminar as nuvens por trás, e achar que esse quadro é um presente que a natureza lhes deu. Só eles vêem poesia naqueles momentos em que o vento varre as folhas secas da praça vazia e o sino da Matriz faz um concerto para corujas, morcegos e outras criaturas da noite.

3 comentários:

Letícia disse...

Devo ser ingênua, Márcio, embora eu não seja um "sujeito do interior". A lua está aqui, bem na minha janela e eu contemplo o que, para muitos, é apenas a lua no céu.

Glaucia Elaine. disse...

Márcio,

Ah! E que lua!

Tão grandiosa, que nem há necessidade de ser tão ingênuo para aprecia-la, basta um ato de simples, o de olhar para o alto.

Beijos!
Glaucia.

Paulo R. Diesel disse...

Se estes são os ingênuos, o que diremos dos espertos então.

Abraço Márcio