sábado, 14 de fevereiro de 2009

Impressões pluviométricas

É trovoada. É pancada de chuvas. É um monte de poças d´água no caminho. E ainda é meados de fevereiro. Desconfio de que, contrariando os versos da canção famosa, não haverá este ano águas de março fechando o verão.
PS: Enquanto isso, tenho sonhos líquidos. Os mais elevados deles estão agora direcionados a uma convidativa garrafa de Cabernet-Sauvignon. Não devo deixá-la esperando.


3 comentários:

Emiliana Carvalho disse...

Não, não deixe...


Márcio, obrigada pela visita!
As mesmas considerações que você fez sobre meu blog, repito em relação ao seu.

Sensível e inteligente.

Letícia disse...

E você gosta de vinho. E essa coisa de águas de março é coisa de harmonia de música. O Quintana diz que "dentro de nós faz sempre bom tempo." Eu gosto de chuva e gosto de texto que não sabe se é um poema, um relato ou avaliação do cotidiano.

Mai disse...

Serviço de meteorologia informa:....

Agora vamos combinar que a história do vinho é brincadeira, não?
Existe uma regra 'política' entre os políticos não vale dedo no olho e chute abaixo da linha da cintura.

Direi o mesmo.

Já não é a primeira vez que eu venho aqui e não consivo sair sem 'salivar' de vontade de beber...

Ok.
Vim para ler um texto e até li...

A cidade está cheia de buracos, é?