sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Variações sobre a maçã e a tentação


A vida virtuosa é uma questão de respeitar medida e proporção.
É o que nos diz, há séculos, a voz ponderada do bom senso,
Com o tom de quem resolveu facilmente o mistério da vida.
É enganosa, porém, a facilidade dessa lição que a filosofia guardou.
Senão, vejamos: total solidão incomoda; nenhuma, sufoca.
Nenhuma preocupação é irresponsabilidade; muita é ansiedade.
Alegria desmedida é leviandade; sua completa ausêncida é depressão.

A história ensina que Aristóteles, o apóstolo do meio-termo,
Viu nele a solução para os dilemas que impedem a vida ética.
Com todo o respeito que devo ao ilustre pensador grego,
Acho que ele se esqueceu de dizer onde está a infalível régua
Que permite determinar, de uma vez por todas, o ponto exato
Onde termina a virtude inocente de quem se deleita ao morder a maçã
E começa o vício reprovável de se inebriar com a doçura de sua pele.

3 comentários:

Fernanda disse...

Este e' um dos pensamentos que ja' escreveste, com o qual eu mais concordo . ele ficara' registado em Viver e Sentir. Mesmo assim, apesar de eu mesma ter experimentado momentos em que me deixo demorar, no medo tentando encontrar a medida certa, sinto que existem momentos na vida em que a hesitação ou falta de vontade nos impede de darmos o passo completo e ficamos tentando nos equilibrar, com um pé em cada margem dos lados da vida, experimentando uma sensação de sufoco e insatisfação. É uma decisão que cabe apenas a nós, que não depende de nenhuma régua nem de nenhum pensamento escrito. São daqueles momentos em que temos de arriscar e dar um passo para o desconhecido senão viveremos sempre no impasse. Senão perdermos o medo, viveremos sempre cabaleando e seremos sempre a criança que tem medo de aprender a andar.
Bom fim de semana.

Viviana disse...

Olá Márcio

Sou a Viviana, amiga da Fernanda, do "Viver e sentir", e cheguei aqui através dela, pela publicação do seu texto -"reflexões do fim de semana".

Tenho gosto em "conhecêlo".

Faço minhas as palavras da Fernanda.

Desejo-lhe um lindo dia

Um abraço

viviana

Anônimo disse...

Acredito que na vida não exista meio termo, a vida é ou não é.Somos nós que procuramos este meio termo, para justificar uma escolha. Temos medo de nos arriscarmos com medo das consequencias. Ou vc gosta ou nao gosta de algo. Ex nao tem como gostar de um filho, de um amor pela metade.