domingo, 14 de junho de 2009

Versos que falam por mim: Alberto Caeiro e seu candeeiro

Os versos finais de "O Guardador de Rebanhos", de Alberto Caeiro, grifados à caneta e cheios de anotações acumuladas ao longo de anos de leituras e releituras, estão sempre ao lado da minha cama, mas poderiam estar na minha parede ou mesmo na fachada da minha casa, pois se incorporaram à minha maneira de ver o mundo. Foi por culpa desses versos que me surgiu a idéia de deixar correr por mim a vida como um rio corre por seu leito. Também é deles a culpa de eu ter desenvolvido o gosto de ficar calado ouvindo o silêncio.

Meto-me para dentro, e fecho a janela.
Trazem o candeeiro e dão as boas noites,
E a minha voz contente dá as boas noites.
Oxalá a minha vida seja sempre isto:
O dia cheio de sol, ou suave de chuva,
Ou tempestuoso como se acabasse o Mundo,
A tarde suave e os ranchos que passam
Fitados com interesse da janela,
O último olhar amigo dado ao sossego das árvores,
E depois, fechada a janela, o candeeiro aceso,
Sem ler nada, nem pensar em nada, nem dormir,
Sentir a vida correr por mim como um rio por seu leito,
E lá fora um grande silêncio como um deus que dorme.

4 comentários:

nanda disse...

editei hoje um poema de Alberto Caeiro ...QUANDO EU ...em Laços... bom domingo

Letícia disse...

Márcio,

Eu desapareci de seu blog. De muitos outros também. Mas estou de volta.

E sempre que leio Alberto Caeiro ou Pessoa mesmo, me lembro de meu irmão. Estive com ele dia desses e ele sempre recita um poema do Fernando Pessoa e seus heterônimos. E eu ouço e fico em silêncio. Em minhas leituras, tenho sempre por perto um livro do Fernando intitulado "Quando Fui Outro". Meu irmão que é professor de literatura sempre me traz bons livros e, nesse caso, foi um dos melhores presentes que ganhei em meu último aniversário.

E leio poemas e queria poder escrever, mas leio apenas.

Liene disse...

Márcio,
Uma escolha muito significativa.

Os versos de Caeiro falam por todos aqueles que tem o olhar atento para admirar os pequenos milagres que acontecem a todo momento durante a vida.

"Porque pensar é não compreender
O mundo não se fez para pensarmos nele
(pensar é estar doente dos olhos)
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo."

Anônimo disse...

Obrigado por Blog intiresny