domingo, 17 de maio de 2009

Exercício de Impressionismo nº 5

O ar da graça
Ainda é maio, e o frio já está onipresente nas montanhas de Minas. Essa queda da temperatura tem algo de usurpação: é o inverno se intrometendo na parte final do outono, assim como a parte inicial costuma ser visitada por um calor persistente herdado do verão. O resultado desse duplo assalto é que sobram pouquíssimos dias com a típica graça outonal, formada por aquela mistura benfazeja de frio e calor que torna o ar mais leve, o céu mais luminoso e a alma mais amena.

2 comentários:

mariza disse...

o inverno tem uma beleza especial. saudemô-la. é como chegar a um ponto distante para um merecido descanso. é deixar que as lembranças das cores da primavera, verão e outono se mesclem numa só, formando uma delicada trama de cor indefinida, e nessa indefinição criar uma cor própria e única.
existe beleza na fria melancolia do inverno? acredito que sim.
beijão, meu amigo. que o inverno lhe seja propício.

Paulo R. Diesel disse...

As estações já não são mais as mesmas.
Elas se irmanaram e com isto juntaram-se e manifestam-se vez por outra no mesmo dia, mesma semana, mesmo mês.
Perdemos com isto a exclusividade.

Não sei o que é mais belo.

Abraço