segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

A natureza humana, segundo as nuvens

Acabo de descobriu que há nos Estados Unidos uma Sociedade dos Apreciadores de Nuvens. Fiquei feliz e, ao mesmo tempo, ligeiramente decepcionado com a descoberta. A felicidade tem uma explicação: desde criança, sou um observador atento desses seres que vagam pelos céus com uma calma e uma placidez que parecem desdenhar dos nossos problemas humanos, sejam grandes ou pequenos, sérios ou banais. A ligeira decepção deve-se à circunstância de eu não ter participado de uma iniciativa como a criação dessa peculiar entidade.
Vou propor à Sociedade dos Apreciadores de Nuvens minha imediata filiação. Tenho um ótimo motivo: boa parte do que consegui aprender sobre a natureza humana, devo-a à existência das nuvens. O hábito de observá-las me ensinou que só há dois tipos de seres humanos adultos: os que olham nuvens para saber se vai chover ou se haverá tempo ensolarado ou nublado e os que as olham para ver se elas se parecem com um peixe, um avião ou um cavalo ou para admirar as formas abstratas nelas desenhadas pela natureza.
No meu entender, o fato de alguém pertencer a uma ou outra categoria diz muito sobre a sua personalidade. Há mais nas nuvens do que supõe a nossa vã filosofia.

4 comentários:

romério rômulo disse...

márcio:
cheguei aqui por indicação da nossa
mariza lourenço.
um abraço.
romério

Juliana Dal Sasso Vilela de Andrade disse...

Márcio,
sempre fico muito feliz com os seus comentários, apesar de nem sempre respondê-los todos (desculpa por isso!).
Estou em NY com meus pais, também é esse um dos motivos de não estar com muito tempo pra ficar por aqui!
Engraçado como essa coisa de ser viciada em frases ajuda em algumas horas! Hoje estava andando no central park e dei de cara com o busto do Friedrich von Schiller, autor de uma das últimas frases que coloquei no blog: "o amor quer o monopólio das faculdades da alma" - e é muito divertido lembrar de algumas coisas assim a qualquer hora do dia, né?
Queria aproveitar pra agradecer de novo aquela sua recomendação para eu ler A Ética do País das Fadas do Chesterton... estava relendo agora e realmente é maravilhoso!
Tenha um bom começo de 2009, espero que teus moleskines cheguem em bom tempo! Encomende em grande número pra sua filha... de preferência os que têm folhas mais grossas e não pautadas, são os mais legais! quando você começar não vai mais conseguir parar, garanto!
Beijos,
Ju

Clea Pinheiro disse...

O céu de Brasília é aclamado pelos artistas plásticos (pelo menos o daqui) o mais belo do mundo!rsrsr... muitos se dedicam a pintar da aurora ao crepúsculo, tentando captar sua beleza e proximidade. As nuvens são um caso à parte. Não é fácil pintar nuvens, observo suas tonalidades e densidade... pouquíssimos artistas surpreendem com o formato de nuvens. Já tentei muito, mas descobri que tenho grande talento mesmo é para pintar 'livros velhos' rsrsr... meu professor de artes plásticas descreve a qualidade de uma técnica que uso sem conhecer. Ainda quero pintar nuvens como as vejo: macias, cheirosas, deslizantes... quero retratar sua fugacidade e tonalidades, dependendo da hora do dia. Abraços.

googler disse...

chloe bags
chloe handbag
chloe handbags
chloe paddington bags
chloe paddington bag