sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

On the road

Uma motocicleta foi o presente de natal que me dei. Escolhi um do chamados modelos custom, com banco mais baixo e guidon recurvado, próprios para longos passeios. Optei por uma moto de média cilindrada, capaz de desenvolver boa velocidade na estrada sem ser muito pesada. A vendedora da concessionária em que fiz a compra, ao saber que eu nunca tivera um veículo de duas rodas antes, ficou curiosa para saber o motivo da compra. A resposta estava na ponta da língua: eu e o vento temos sido grandes amigos. Se ele não vem até mim, eu devo ir até ele.

4 comentários:

Juracy Ribeiro disse...

Márcio,
Legal novo texto seu. Estava sentindo falta.
Que Papai Noel, hein? Sem mãos a medir.rsrs
Não sou fã de motos, mas sou sua fã. Se você está feliz, por extensão, estou também.
Mais textos aqui em 2010, por favor.
Muitas risadas, paz, amor, luz.
Abraços da
Juracy.

Ricardo Duarte disse...

Márcio,
Obrigado pelas visitas, pelos comentários e, claro, pelos ótimos textos publicados aqui.

Feliz 2010!

Abraços

.Leonardo B. disse...

Não resisto a partilhar, Amigo Márcio, uma mensagem “urgente” que a Amiga Rejane me enviou; partilhá-la é o mínimo que posso fazer, possa ou não ser “prematura”, tamanha declaração:

“Depois de uma séria e cautelosa consideração, gostaria de notificar a renovação do nosso CONTRATO DE AMIZADE, para o ano de 2010 e seguintes…

“Nunca desvalorize ninguém…
Coloque cada pessoa perto do seu coração
Porque um dia você pode acordar
E perceber que perdeu um diamante
Enquanto estava muito ocupado a coleccionar pedras”

[Mande este abraço para todos os que você não quer perder em 2010, adverte-me a Amiga Rejane: é meu dever, minha tão grande obrigação…]

Um imenso abraço

Leonardo B.

Lia Noronha disse...

Marcio: viagens maravilhosas pr avc nesse ano que vai chegar.
Abraços carinhosos.