sexta-feira, 22 de maio de 2009

Ataques de rinite e surtos de reflexão

A propósito de pipas e quinquilharias
Minha porção diarista achou por bem que eu me armasse de paciência e espanador e fosse a um dos cômodos onde guardo livros para combater o obscurantismo da poeira e das traças que não amam o saber. Com pouco know-how espanativo, levei meia hora para deixar quatro estantes com um aspecto ligeiramente civilizado.
O entusiasmo limpante me custou um ataque de rinite alérgica e um surto de reflexão. A rinite foi combatida com rinosoro e desapareceu rápido. O surto de reflexão ainda está agindo. Ele foi inspirado pela grossa camada de poeira que encontrei sobre pilhas de papéis e volumes que não abro há anos.
Olhando aquelas obras que as traças têm visitado com frequência muito maior do que a minha, não consegui evitar a conclusão de que a minha mente também tende a acumular poeira ao longo dos anos. Alguns de meus conceitos ficam absolutamente quietos e empoeirados até que eu me decida por uma faxina.
Às vezes demoro mais do que deveria a fazer a limpeza e sou obrigado a jogar fora, junto com a poeira, um grupo de opiniões que vêm de longa data. É como se elas fossem papel embolorado, capaz de comunicar o seu bolor a outos ocupantes da biblioteca da mente, comprometendo cada vez mais prateleiras e estantes.
Nunca me arrependi de ter mandado para o lixo idéias e conceitos empoeirados. Se estavam empoeiados, é porque não tinham uso. O inverso é verdadeiro. Costumo me arrepender de não ser mais frequente e rigoroso nas minhas faxinas mentais. Se fosse, acredito que iria criar mais espaço livre para novas opiniões.
Mas o ajuntamento de quinquilharias mentais não é traço da minha personalidade. É antes uma espécie de alergia que surge quando me descuido da limpeza. Para mim, idéias e conceitos não mostram seu valor nas estantes da mente. Como as pipas, devem ser lançados ao céu do debate para receber a luz do sol e testar sua capacidade de vôo.

3 comentários:

Sue disse...

Ah! eu decidi(tento) ter um "desenvolvimento sustentável" da mente, pra lá só vai o essencial ou o que pode ser reciclado.

E os blogs parecem ser os carretéis de linha das nossas pipas.

Voe sempre

Germano Xavier disse...

Vou deixar meu endereço, caso queira me enviar pacotes de livros velhos. Aceito tudo.

Rua Ramiro Ribeiro, 425, centro.
Juazeiro-BA
48900-000

Abraço, meu caro.
Sigamos...

Letícia disse...

"Entusiasmo limpante" e "Quinquilharias mentais". Gostei muito desses termos. Você os cria com muita facilidade e isso é uma prova de que sua mente não está tão empoeirada assim. Alguém que produz sempre, falando a respeito de diversos assuntos, não me parece estar sofrendo de um descuido mental. Mas é certo. Ideias e conceitos que guardamos e nunca deixamos que eles saiam, realmente se tornam velhos e quinquilharias. O bom é fazer teoria sempre e praticar essa teoria. Muitas pessoas sentem medo de expor suas opiniões. Estamos vivendo um tempo de muito conhecimento, Márcio, e é uma batalha após outra, se munir e enfrentar o mundo com nossas palavras. Respeito os falantes e pessoas de opinião. Mas também respeito os silenciosos que pensam e conseguem transformar suas mentes e a mente de outras pessoas com base em sábias reflexões.